sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

A. in Loveland


Raros são os momentos de um amor-luz como este que ilumina e aquece sem cegar ☀ 
Na verdade, com ele passamos a ver mais, outras dimensões sagradas da condição humana. 

O lugar nosso que oferecemos aos outros sem precisarmos de nada mais que o brilho-espelho nos olhos que olham os nossos e nos desarmam, fazendo tombar as muralhas que nem desconfiávamos erigidas dentro do coração (❤).



Rimos. Muito. Ri-se muito sem razão quando não é tempo de fazer uso dela. Às vezes, como nesta manhã de Outono em pausa, impera despir a lógica e seguir de pés descalços. Sapatos para quê se pisamos nuvens? ☁ …



Esta sessão guardo mais do que em imagens. Tenho para sempre tatuada na alma, como o amor que lhes doo a cada dia e lhes quis oferecer assim, através da lente. Porque estas três têm-se e ao amor-sol que as une, e eu também as tenho comigo, por isso também são minhas, da minha lente e da minha vida.


Sem comentários:

Publicar um comentário